As fraudes com cartões de crédito praticadas em lojas virtuais

As fraudes com cartões de crédito praticadas em lojas virtuais
Fraudes com cartões de crédito no e-commerce

As fraudes com cartões de crédito em lojas virtuais são um dos maiores riscos para a sobrevivência de uma loja virtual. A medida que o brasileiro se acostuma a compras através de cartões de crédito em lojas virtuais o segmento passa a ser alvo dos cibercriminosos.

O número de fraudes com cartões de crédito no e-commerce cresce a cada dia e as técnicas utilizadas pelos estelionatários estão cada vez mais sofisticadas.

Tipos de fraudes com cartões de crédito em lojas virtuais

Podemos dividir as fraudes com cartões de crédito em lojas virtuais, em três categorias principais, a Fraude Efetiva, a Auto-Fraude e a Fraude Amiga.

Situação de Fraude Efetiva

A situação de Fraude Efetiva acontece quando um estelionatário acessa a loja virtual e efetua compras com um cartão de crédito roubado ou clonado. Por ter todos os dados necessários à compra, o processo transcorre normalmente sem qualquer problema. A administradora de cartões de crédito recebe a requisição e aprova a transação dando início ao processo de entrega do produto.

Ao receber a fatura do cartão de crédito com o lançamento indevido, o titular do cartão entra em contato com a administradora e questiona o lançamento alegando não reconhecer aquela compra, o que gera o chargeback. Nesse caso o prejuízo do lojista é total, ficando sem o produto e sem o dinheiro.

A Fraude Efetiva é sem dúvida a fraude com cartões de crédito mais comuns no comércio eletrônico, mas felizmente pode ser identificada quando a loja adota uma política rígida em relação a segurança das transações online, como por exemplo o uso de um bom sistema anti-fraude.

Auto-Fraude

Na situação de Auto-Fraude, o titular do cartão, agindo de má fé, efetua a compra na loja virtual e ao receber o extrato liga para a administradora de cartões de crédito alegando não reconhecer a compra e exigindo o estorno do lançamento na fatura. A Auto-Fraude é muito mais comum do que se imagina e não tem como ser identificada pelo sistema ou gestor de meios de pagamento da loja virtual.

Esse tipo de fraude com cartões de crédito no e-commerce, apesar de comum vai sendo diminuida em função do monitoramento que as administradoras de cartões de crédito vem fazendo sobre clientes com ocorrências deste tipo.

Fraude Amiga

A situação de Fraude Amiga também é um tipo de fraude bastante comum em lojas virtuais. É aquela situação em que a compra é feita por uma pessoas relacionada ao titular do cartão e que tem acesso a todas as informações para concretização da compra, como por exemplo, parentes próximos como filhos, esposa, marido ou irmãos.

Nesta situação especificamente não existe má fé propriamente dita, mas a falta de conhecimento do titular do cartão sobre aquela conta, leva ao pedido de cancelamento da mesma e o seu consequente chargeback.

Essa também é uma situação bem comum, e igualmente difícil de ser previamente identificada. Felizmente, a experiência mostra que em muitos casos o titular do cartão, após ser contatado pela loja virtual,  acaba por reconhecer a compra, após identificar o verdadeiro agente da compra.

Outras situações de chargeback em lojas virtuais

Existe uma situação de chargeback no e-commerce que não chega a ser exatamente uma fraude, é o que chamamos de chargeback por desacordo comercial. Uma situação de chargeback por desacordo comercial ocorre quando o cliente alega que houve um problema qualquer na transação comercial como, por exemplo, erro no preenchimento dos dados do comprador, divergência de assinatura ou insatisfação do cliente com o produto que foi comprado na loja virtual.

As situações em que ocorrem fraudes com cartões de crédito em lojas virtuais são muitas, mas um bom sistema de análise de operações e um anti-fraude, podem ajudar em muito.

Fraudes com cartões de crédito em lojas virtuais
1 vote, 4.00 avg. rating (81% score)

ARTIGOS SIMILARES

3 COMENTÁRIOS

  1. Alberto. Já tem novo golpe na praça. Acabo de cair! Recebi um produto da Polishop sem ter comprado. Como gosto das coisas certas fui atrás para saber o q estava acontecendo. Tomei susto, pois havia varias compras em meu nome sem nunca ter feito cadastro na loja. E no cartão de crédito que não tenho a menor ideia de quem é. Fui informado q é um cartão fantasma. Ninguém paga nada. Só a loja se ferra. (Espero). Depois fiquei sabendo q era dois pacotes e só recebi um.

  2. No caso de fraude efetiva tive um casos em que a operadora de cartão aprova a transação com as informações sobre o cartão de crédito errada. Nro de cartão, validade e código de segurança, OK porem o titular do cartão estava errado. Por que a responsabilidade é do estabelecimento quando quem faz a verificação das informações é a administradora de cartões?
    Atte. Martin

  3. olá,

    e quanto as fraudes de cartões contestados, fora as medidas de segurança como o sistema anti-fraude, qual outra medida posterior poderá ser utilizada nestes casos de contestação.

    att
    susana

Deixe uma Resposta: